Exame do Liquor

O exame do líquido cefalorraquiano (LCR) ou líquor, des¬de a sua descoberta no século XIX, vem sendo, com o passar dos anos cada vez mais sendo estudado, e solicitado ao labora¬tório clínico para complementação paraclínica ao diagnóstico.

Para o diagnóstico, a análise do LCR permite auxiliar, nas mais diversas patologias neurológicas como em estadiamentos, no seguimento de alterações vasculares, em infecções agudas, em infecções subagudas, em infecções crônicas, em processos inflamatórios (reacionais e auto-imunes) e em neoplasias (tu¬mores) que acometem o sistema nervoso central (SNC) e o sis¬tema nervoso periférico (SNP). Além disso, é possível, também a administração intratecal de medicamentos e quimioterápi¬cos, tanto para o tratamento de infecções como para tumores primários ou metastáticos do SNC e ainda como profilaxia do envolvimento neurológico de tumores sistêmicos, como por exemplo, em leucemias.

A análise técnica de competência do Multilab visa esclarecer a complexidade da e ajudar a auxiliar na interpretação dos resultados com clareza, contudo, primeiramente para melhor entendermos a avaliação do exame do LCR é necessário o conhecimento das indicações para este exame segundo a Academia Americana de Neurologia (AAN):

• Processos infecciosos do SNC e seus envoltórios:
Exemplo: meningites agudas;
• Processos granulomatosos com imagem inespecífica:
Exemplo: metástases, neurotuberculose, neuromicoses e a neurocisticercose;
• Processos desmielinizantes:
Exemplo: neuromielite óptica (NMO) e a esclerose múltipla (EM);
• Leucemias e linfomas (estadiamento e tratamento):
Exemplo: principalmente a leucemia linfóide aguda (LLA);
• Imunodeficiências:
Exemplo: síndrome de imunodeficiência adquirida (HIV);
• Processos infecciosos com foco não identificado:
Exemplo: recém-nascidos e crianças febris sem causa aparente;
• Hemorragia subaracnóidea (HSA):
Exemplo: Traumatismos e acidente vascular cerebral (AVC).

A partir do conhecimento das principais indicações para o exame de LCR poderemos visualizar melhor a interpretação dos resultados e conduzir laboratorialmente as investigações das patologias, podendo até sugerir exames auxiliares utilizando a medicina baseado em evidencias.